Arquivo mensal: janeiro 2011

6 de janeiro de 1857

Levei a renca hoje a João Amaro e lá eles viram de perto este  jazigo,  do avô do bisavô Rubem Reis Almeida.

Poderia ter perguntado a seu Rubem Reis a origem do Reis, mas ao ver agora a data de nascimento na lápide, dia de Santos Reis,  descobri.

Invejo meus meninos por ter acesso a tão distante ancestralidade.

Nesta tarde de nuvens carregadas, visitei com os meninos e a vó Conceição  a cada dia mais  literalmente tombada estação ferroviaria de João Amaro. A estação foi cenário de novela da Globo, Pedra sobre Pedra, em 1991, e poderia ter sido preservada.

E o vídeo da novela. Tenha paciência, você vai curtir muito Maurício e Adriana até os 2:06 minutos do vídeo de 3:18. Mas dá pra ver a estação ainda de pé.

Mais sobre João Amaro aqui.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2463122934190&set=a.1137311949744.2020128.1135737937&type=1

Anúncios

A quase 3ª ponte de Iaçu

Era pra ficar pronta pras eleições, quem sabe no São João. Mas a virtual 3ª ponte de Iaçu avança. Faço este post para atender a curiosidade de mais da metade dos visitantes deste blog, em busca sobre Iaçu.

Informo também que a estrada para Milagres avança  e quem sabe no final do ano talvez  esteja pronta.

A favor da estrada,  que está sendo reconstruída, a opinião de seu Rubem Reis, quase 90 anos de vida,  muitos anos de fidelidade e militância na UDN, Arena,PDS,  PFL, embora tenha se tornado eleitor de Lula (só de Lula, que fique claro) nos dois últimos mandatos:  “As estradas de Wagner são boas.”

Sobre as pontes de Iaçu:
Iaçu tem uma não-ponte sobre o Paraguaçu, quase uma instalação a ligar o nada ao nada com um espaço vazio no meio, testemunho de uma antiga ferrovia que morreu antes de se expandir…(mais)
Desde 1993, quando conheci Soraya, vou a Iaçu pelo menos duas vezes por ano. Lá encontrei um pouco de minha infância…(mais)

Renca reunida

De volta para André e Maria – eles contavam os dias – preferi a vicinal que liga a BR116 a Iaçu, pelo povoado de Lajedo Alto. Gosto de estrada de chão. Chegamos eu,  Luísa e Soraya. Elas vieram  quinta-feira do Rio, da parte seca do Rio de Janeiro. Trouxeram muitas fotos. Duas delas: