90

Rubem Reis Almeida, o bisavô das crianças e avô de Soraya completa hoje 90 anos.  Daqui a pouco vamos ali em Iaçu dar um abraço no craque que em 1943 era um garoto que como muitos amava Carlos Galhardo, Orlando Silva, Francisco Alves.

Mas foi chamado. Ficou em Feira de Santana,  aquartelado no 2º do 180º batalhão de infantaria, um dos três criados na Bahia para preparar soldados para a força expedicionária. Fez o curso de saúde e trabalhava como atendente de enfermagem, depois como escrevente do primeiro-tenente médico Antonio de Lima Torres, carioca de 28 anos, de quem ficou amigo.

Passou pelo serviço médico, foi capacitado, estava pronto para embarcar na segunda leva de soldados da FEB, em 1944. Mas por conta de uma gripe complicada com bronquite, classificação 19 B, foi impedido de conhecer a Itália.
Por esta época, ia descendo fardado pela Avenida Senhor dos Passos à noitinha, em direção da casa da professora Julieta, sua namorada de então.

Numa esquina, foi abordado por Judite, que estava em companhia de Ludu, e queria se certificar do estado civil de um colega dele de farda. Neste dia, por coincidência, Rubem havia preenchido a ficha do pretendente e assegurou para a moça que ele era solteiro da silva. Sem perder tempo, o soldado exigiu o troco: quem é essa morena bonita? A morena bonita devolveu o sorriso e no dia seguinte os dois estavam novamente juntos, com direito a pegar na mão.

O caminho pra casa da namorada ficou mais curto. O encontro casual resultou em 59 anos de convivência. Dona Ludu já se foi, hoje seu Rubem vive na mesma casa com suas lembranças e seus passarinhos.

No dia 8 de maio de 1945, quando os russos tomaram Berlim e finalmente os nazistas foram derrotados, o 2º do 18º começou a ser desmobilizado. No dia seguinte o soldado Rubem foi licenciado e retornou então a João Amaro.

18 dias depois estava no altar da Catedral de Feira de Santana, na cerimônia do sim com a morena bonita, “a menina de azul e olhos que me encantaram”, conforme dedicatória na primeira foto entregue à pretendente.

Em Iaçu, trabalhou com o tio Manoel Severiano dos Santos, numa loja de tecidos e de secos e molhados. No mesmo ano ingressou como agente postal no Departamento de Correios e Telégrafos, onde se aposentou em 1981 como operador de correspondências sociais, depois de ter trabalhado nos serviço postal, telegráfico e como chefe de agência.

Como telegrafista, recebia as principais mensagens dirigidas aos iaçuenses, dando notícia de quem nasceu, de quem ia chegar, de quem morreu, enfim da vida da cidade. Foi Juracysista e admirador de ACM. Mas mantinha bom relacionamento com todos, inclusive com muitos dos que militaram em Iaçu contra a ditadura, na década de 1960.

Desde cedo gostou de bola. Jogava no Palmeiras, time do Exército e, por intermédio de um oficial, chegou a assinar um pré-contrato com o amarelo e preto Ypiranga, que junto com o Galícia e o Botafogo eram os melhores times baianos da época.

Mas preferiu o casamento e passou a emprestar seu talento de beque central batedor de falta e goleador ao Flamengo, sucursal iaçuense do seu time do coração.

Parabéns Rubem Reis!

 

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2761878602895&set=a.1137311949744.2020128.1135737937&type=1

Anúncios

Uma ideia sobre “90

  1. Celso

    Você daria um belo biógrafo. Parabéns ao seo Rubem e a Soraya, sua neta preferida.
    Obrigado Chorik. Levarei os seus parabéns. Faltou dizer que seu Rubem é espírita. Vocês bateriam altos papos, tenho certeza. abs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s