De todo o meu coração, sem um minuto a perder

22/04/2013

Soraya do sofá lê pra mim poesia pura em forma de documento, em forma de História:

“Digo eu Izidoro Gurgel Mascarenhas, que entre os mais bens que possuo (…) sou senhor e possuidor de uma escrava de nome Ana (…) (recebida na herança) de meu Pai, Lúcio Gurgel Mascarenhas (…) e como a referida escrava é minha Mãe, verificando-se a minha maioridade hoje, pelo casamento de ontem, por isso achando-me com direito, concedo à referida minha Mãe plena liberdade, a qual concedo de todo o meu coração”

Livro de notas e escrituras 61, fol. 28v, 11/10/1869, Cartório do 1º Ofício Civil de Campinas. Citado por Robert Slenes, no livro História da Vida Privada no Brasil, volume II.

 

https://www.facebook.com/gusmaomarcus/posts/4718379514195

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: