O licuri e o diabo

O menino queria, queria muito, ser o anjo da procissão em Iaçu.

– Onde já se viu anjo homem? Argumentou o padre, irritado.

Dia da procissão, o estouro diante da menina anjo, toda de branco. Nas pernas, o sangue brotava de vários pontinhos vermelhos provocados por estilhaços de licuri.

Pólvora socada no coquinho oco,  bomba construída e acionada pelo anjo. Devidamente excomungado pelo padre.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s