Posts Tagged ‘vício’

Joinha$

15/06/2015

god-likes-this

Você passa muito tempo na internet porque está infeliz ou está infeliz porque vive na internet?  Nem uma coisa nem outra, penso eu. Como bem ensina o professor Antonio Nery, o problema não são as drogas mas as pessoas.

Já está bem claro que o X da questão  não está  na coca nem na coca-cola, nem no cigarro ou no baseado, no álcool ou no rivotril, tampouco no Bono ou na Nutella.  São todos inertes e inocentes.

O problema, como sempre, está em nós.

Fui a uma reunião de escola com pais, destas que costumam comparecer alguns gatos pingados, estava entupida, nunca vi tanta gente. O assunto era internet. Estamos todos perdidos, pais, filhos, professores. Quem souber a saída, por favor aponte.

A droga do facebook é um pouco mais pesada, complexa, nem tão inerte, nem tão inocente. É uma droga social.
A matéria de capa da Superinteressante deste mês,  assinada por Alexandre de Santi, dá uma pequena noção da força deste “doce” tecnológico. Somos 59 milhões de brasileiros conectados ao f azul e branco todos os dias, numa rede de 1,4 bilhão de almas em todo o mundo. Uma droga que rende muito dinheiro.

Muito interessante também o box do editor Bruno Garatonni, que criou uma página nonsense, com o título Sdftyu459868 e sem nada publicado mas conseguiu  184 likes ao pagar R$70 ao Facebook.

Na matéria, relatos de experiências que demonstram a infelicidade aguçada pela exposição da felicidade alheia, já que, em tese, as pessoas tendem a mostrar ali seus melhores momentos. Por que não eu? seria a pergunta desencadeadora do amargo na boca diante da foto e relato da viagem, do sucesso, da alegria alheia.

Talvez não por acaso, o post mais acessado neste Licuri seja sobre a inveja. Talvez seja este um dos sentimentos mais destrutivos e autodestrutivos também. O veneno e o ódio destilados nos comentários na rede são testemunhas desta sombria manifestação humana.

Mas enfim, tem coisas boas por aqui também. Como alguém já disse, a diferença entre o veneno e o remédio está na dose.
Qual a sua dose?

Imagem 

Conta inexata

10/11/2013

“Por conta de uma desilusão amorosa, a estudante mexicana Gabriela Hernández Guerra, de 22 anos, se matou…”

Assim começa a notícia, transformada em notícia porque o suicídio foi anunciado no facebook. Normal, as pessoas antigamente usavam bilhetes, mudou o suporte do aviso.

O que não gosto mesmo em notícias de suicídio é da causa atribuída ao suicídio. É da profissão de jornalista, de fofoqueiro, de contador de histórias determinar uma única  causa motivadora de um ato.

É muito pouco e passa longe da realidade reduzir a uma única causa o suicídio, a loucura, o vício e até a virtude.

 

https://www.facebook.com/gusmaomarcus/posts/10200843981038582

Microdoses

22/09/2013

TragoBeijoSoproTrago. Beijo e fumaça a 4 pulmões.
CasoAmanhãRetadoLigadoTaradoOsadoeNervoso.

***
Papel sob a língua. É noite no Porto da Barra.
Com a roupa do corpo nada, nada. E sobrevive.

***

Vodka. Água. Vodka. Água. Vodka. Água.
O mundo é redondo. E dá muitas voltas.

***

Pressiona a cartela de Rivotril duas vezes.
Bebe os dois comprimidos num gole e apaga a luz.

***

Rasga a embalagem do Alpino. Morde e mastiga.
Sente o travo doce açucarado. Pausa na amargura.

***

Aperta um. Dentro do cigarro há marijuana.
Traga, traga, até a bagana. Sorri satisfeito.

***

Abre uma coca-cola. Dentro da garrafa há coca-cola.
Sorve tudo. E arrota satisfeito.

 

https://www.facebook.com/gusmaomarcus/posts/10200558396739153

Todos nós

28/07/2012

Pisquei em 48 horas. Sou ruim de greve e bom de vícios. Como das outras vezes quando tentei em vão sair do facebook quem mais sentiu minha falta foi eu mesmo.

Tenho, fajutos ou não, três motivos e uma justificativa para o rápido retorno:

1 – O BBMP! reagiu, milagrosamente, mas reagiu. Pode ser fogo de palha mas reagiu.
2 – Reiniciei a terapia. Pode ser fogo de palha, mas é um recomeço.
3 – E a Bahia? Tá viva, apesar de todos nós. E isto não é nem trocadilho nem ironia. É todos nós de verdade, incluindo eu e você.

E como viver sem os olhos alheios sobre o que vai pelo mundo? Olhos e corações de gente que sente, vê e compartilha de forma semelhante os absurdos, dores e delícias desta vida breve. Tenho aqui nestas muitas almas tortas eficientes antídotos antiloucura e antimonotonia.

Como naquela canção brega, preciso, preciso de vocês aqui. E como bem disse Bernardo, BORANOISMINHAPORRA!
Foto: mosaico com amigos do facebook montado com o aplicativo http://frintr.com/

facebook: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=3535052371756&set=a.1137311949744.2020128.1135737937&type=1&theater

Equilíbrio é para fortes

21/03/2012

Imagem

Este negócio de deixar de beber coca-cola e caminhar todo dia é como mexer em colunas vitais de um prédio em ruínas.

O abalo é forte. A queda no fornecimento de açucar e outras drogas invísives presente na coca mais o pedido corporal de energia extra provocado pelas caminhadas arruinaram o precário equilíbrio da bomba bioquímica armada pacientemente em muitos anos de stress, sedentarismo, maus hábitos e sapos goela abaixo.

Resultado: pavio encurtado, pequenas grandes  explosões de ira e um dose extra e enorme de açucar, cafeína, carbohidratos e outros ansiolítcos alimentares.

O ideal, ideal mesmo, seria um retiro, um spa, com direito a caminhadas por trilhas verdejantes, banhos de cachoeira, chás, meditação  e acompanhamento psicológico.

Mas a vida, pelo menos a minha, tem estado mais pra engarrafamento, PDG, prazos vencidos, dúvidas e dívidas. Ou seja, mais  pra  sparro. E aí?

Não vale responder que é de babaixá, é de balacubaco.

Facebook

Imagem, com diretito a poesia.

Recordes

16/03/2012


Tem malas que fumam durante anos e anos, param e começam a contar e propagar minutos, horas e dias conquistados sem fumar. Ou neovegetarianos a encher o saco de quem adora queimar uma carne. Entrei para o rol destes maletas desprovidos de alça: já tem c-i-n-c-o dias que ando na orla, cinco dias consecutivos, de segunda a sexta, sem tirar de dentro! E 69 horas desde a última coca-cola! Estou me sentindo muito bem, e  você?


Facebook

Foto daqui.

Não durou uma lua

17/10/2011

A ideia era cortar a internet pessoal, sair da rede e aproveitar o tempo desperdiçado na tela do computador  para colocar a agenda em dia.

O erro foi tratar consequência como causa. Continuarei a buscar as causas.

Estou de volta também  porque preciso disso aqui, me acostumei a isso aqui. Mal me comparando ao sujeito que recebe os conselhos de velho poeta por carta, estou naquela condição de quem não sobrevive sem escrever.

Mesmo que não seja poesia mas o registro de banalidades cotidianas pra desabafo e  consumo próprio e dos amigos mais chegados.

Como ver um outdoor na rua em que um locutor de rádio anuncia uma entrevista com Frei Betto e a foto é do locutor de rádio? Como ver isso e não registrar aqui o nonsense petulante, exibicionista e eleitoreiro?

Onde vou dizer como  fiquei puto com a forma pela qual o  horário de Verão foi enfiado goela abaixo de quem mora em Sussuarana e trabalha na Pituba e agora vai acordar  às quatro e sair no escuro  porque o nome Partido dos  Trabalhadores é a cada dia mais nome fantasia?

Enfim, estou de volta e peço a minha nova inscrição.

Clique aqui ou na lua para ver as fases de outubro

Gregório explica

20/11/2009

Ontem riram de mim. Anteontem também.
Riram do meu espanto.
Conto então os pecados, sem nominar os santos:

Ontem fui o último a saber, depois até do corno. E o pior que eu senti no peito a facada como se fosse comigo. Todo mundo incrédulo, rindo da minha cara. Não sou amigo do cara, apenas o conheço de vista. É do tipo alegre, inteligente e bacana, assim como eu desejo ser. Tinha uma família parecida com a minha, e uma mulher com cara de santinha mas que dava,  ao que consta sem esconder muito, para um sujeito consensualmente asqueroso. É mole?

Anteontem outro espanto ingênuo e semelhante. Meu queixo bateu no joelho ao saber de uma pessoa próxima da sua dificuldade para resolver  um caso na justiça no valor de mais ou menos R$ 1 milhão. Depende de uma decisão de uma autoridade judicial, cuja assinatura custa R$ 150 mil.

Antes de continuar aqui a dar  uma de porreta, a atirar pedras nos erros alheios, eu e você nos sentindo bacanas neste mundo porco,  recorro novamente a um trecho de “Aos vícios”, de Gregório de Mattos: 

[….]

A ignorância dos homens destas eras,
Sisudos faz ser uns, outros prudentes,
Que a mudez canoniza bestas-feras.

Há bons por não poder ser insolentes,
Outros há comedidos de medrosos,
Não mordem outros não – por não ter dentes.

Quantos há que as telhados têm vidrosos,
E deixam de atirar sua pedrada,
De sua mesma telha receiosos?

Uma só natureza nos foi dada;
Não criou Deus os naturais diversos;
Um só Adão criou, e esse de nada.

Todos somas ruins, todos perversos,
Só nos “distingue o vício e a virtude,
De que uns são comensais, outros adversos.

[….]

Tradução: somos todos farinha do mesmo saco. Íntegra aqui

Dez

09/07/2008

Um fio de cabelo é pouco ou muito?  Pouco na cabeça, muito na sopa. Baseado nesta teoria da relatividade de buteco comemoro hoje 10 mil visitas a este pequeno coco desde a véspera do são João do ano passado. Consegui trazer outros blogs anteriores, mas não o Licuri do UOL, que não se entende com o wordpress.
Dez mil é apenas uma referência,  quase um nada se comparado aos números da blogosfera, mas para mim é um senhor número. Mesmo subtraindo uns 9 mil 900 leitores que esbarraram aqui via sites de busca  –  alguns atrás de “buceta”, sem a foto desejada caem fora antes do primeiro verso de Bráulio Tavares – dos cem que sobraram, tenho que abater uns 90, já que o marcador é de páginas e não de visitantes.
Sobraram dez valiosos leitores, cinco deles silenciosos.
Mas é por estes dez leitores, você está entre eles, é que prossigo completamente fisgado por esta minha nova(?) mania, misto de vício e terapia.